(Tempo de leitura: 4 minutos)

O número de pessoas com acesso à internet chega atualmente a cerca de 143 milhões de usuários apenas no Brasil, e com isso, notamos que a ascensão da tecnologia tem auxiliado em diversas áreas como a saúde, educação, segurança, etc. Apesar dos benefícios deste recurso em tantas áreas, o seu uso desmedido tem motivado dependência e afetado as relações sociais, causando consequências aos indivíduos, principalmente adolescentes e jovens. 

Por esse motivo, saber filtrar seu uso é de extrema importância e está ligado diretamente à saúde mental.

Os efeitos negativos das redes sociais na nossa vida

Apesar de sua criação ser pensada para o avanço de informações, facilidades no dia-a-dia, compartilhamento de opiniões, trabalho ou distração, o uso da tecnologia pode tornar-se uma dependência, pois é onde os pré julgamentos são realizados, onde os relacionamentos são declarados e exibidos em “público” diante de pessoas muitas vezes desconhecidas. Por esse motivo, a super exposição de toda sua vida talvez não traga benefícios a longo prazo para seu bem-estar. 

A busca em se espelhar em um certo perfil, ou até mesmo demonstrar uma vida que não condiz com sua realidade pode gerar problemas de auto aceitação. Alguns vivem sempre com o objetivo de alcançar o maior número de “amigos” e manipulam uma vida perfeita e muitas vezes de padrão inalcançável, e tudo se torna uma busca incansável em obter o maior número de likes (curtidas) e comentários em suas postagens nas redes sociais.

E então, o uso das redes sociais sem o discernimento de realidade e coerência pode levar muitas pessoas a problemas de autoestima, depressão e ansiedade.

Além disso, o uso problemático de mídias sociais revela um ambiente onde muitos chegam a agredir verbalmente pessoas com ideias e culturas diferentes das suas (o famoso “hate”), o bullying virtual, as agressões verbais e as mensagens mal interpretadas podem até mesmo influenciar em mudanças de hábito, discórdias e até desestruturação de famílias.

Use a rede social a favor da sua autoestima

Embora os dados e pesquisas indiquem os malefícios em não saber usar as redes sociais de forma cautelosa, é possível fugir desse padrão e construir algo de positivo com seu uso.

O passo inicial seria seguir perfis e marcas das quais você realmente se identifique e que agreguem em algo na sua vida, pessoas cujo objetivo seja sempre transparecer a sinceridade sobre suas vidas, não as que buscam demonstrar serem perfeitas. 

Dosar o tempo em que se fica conectado também pode ser importante, evitar utilizar o celular antes de dormir, pode ajudar até mesmo para a qualidade do sono. 

Seguir pessoas cuja vida se assemelha a sua realidade e ter a consciência de que qualquer comentário negativo pode gerar um impacto desastroso na vida de terceiros. Muitos pensam que por estarem por trás de um aplicativo não precisam cultivar a empatia pelos outros, mas deve-se ter em mente que suas atitudes nas mídias sociais não devem ultrapassar a ética e respeito que qualquer ser humano deve buscar preservar em sociedade.

A sua autoestima e autocuidado devem ser preservados diariamente, por isso, se você percebeu que em algum momento o que você acompanha em seu perfil não está te fazendo bem e causando um desgaste emocional fora da sua vida on-line, talvez seja a hora de repensar alguns hábitos.

Confira algumas dicas de hábitos para um bom uso das redes sociais:

  • estipular um turno do dia para se desconectar dos aplicativos;
  • não compartilhe notícias de caráter duvidoso ou sem fontes seguras;
  • se você notar ou sofrer algum tipo de ataque, denuncie;
  • busque seguir e se inspirar em pessoas que se aproximem da sua realidade;
  • não se compare ou busque aceitação, lembre-se que todos somos seres humanos com defeitos e qualidade;
  • reservar um dia para excluir algumas contas que não possuem informações relevantes.

Existe equilíbrio entre vida on-line e off-line?

Como todas as áreas da vida devemos saber equilibrar com sabedoria o lado positivo e o negativo, respeitar nossos limites e mudar os hábitos quando esses já nos causam problemas. 

O equilíbrio nas mídias sociais é totalmente possível se você der o primeiro passo, que é reconhecer até onde está gerando benefícios, e se você está disposto a mudar essas questões. Se por acaso, em algum momento você já se perguntou se está muito conectado, ou deixou de fazer alguma atividade presencial, encontrar com amigos, ou dar atenção para algum familiar em decorrência da distração das mídias sociais, talvez seja um bom momento para essa mudança. 

Utilizar a internet deve ser uma ferramenta saudável e jamais um motivo para afetar a sua saúde mental. Existem, inclusive, alguns projetos para auxiliar no tratamento da dependência tecnológica, como o Instituto DELETE (um instituto de “Detox Digital”, que orienta a população ao uso consciente das tecnologias digitais e oferece suporte no tratamento). É totalmente possível aproveitar apenas o melhor que as mídias sociais podem oferecer, reconhecendo seus próprios limites e o que não faz bem.

Converse com amigos ou familiares sobre essa questão, o debate é essencial para que as mudanças sejam feitas. Compartilhe esse artigo e se precisar procure algum profissional para maior ajuda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>