(Tempo de leitura: 3 minutos)

O mundo das redes sociais apresenta uma infinidade de funções por parte dos profissionais envolvidos com o marketing de tais plataformas. É possível produzir conteúdos relevantes, entre textos chamativos e artes para a timeline, além de gerenciar o famoso marketing de influência por parte do boom gerado pelos influenciadores digitais, uma área recente e extremamente útil para aumentar o alcance de uma marca e/ou campanha. Tudo isso gera uma necessidade de acompanhamento e interação, e forma um grupo de ações importantes a serem executadas no dia-a-dia. E o grande responsável por isso é ele: o community manager. 

Veja dicas preciosas para gerar campanhas de sucesso nas redes sociais

Como o próprio nome em inglês já denuncia, esse profissional é responsável por fazer o gerenciamento de comunidades, desenvolvidas pela popularidade das mídias digitais. O mundo está inegavelmente mais digital, com a população mundial passando um tempo considerável nas redes sociais em seus smartphones. É por isso que a função de um CM é tão importante: por estar conectado e interagindo com os usuários, ele sabe exatamente qual é o resultado concreto de campanhas e conversa diretamente com o público. 

Instagram: saiba como usar os stories a seu favor

Engana-se, porém, quem pensa que um community manager se restringe à função do que chamamos de SAC 2.0, voltado para o atendimento ao público. Ao interagir por texto, é importante ter em mente que a interação fica registrada nas plataformas, algo que pede sensibilidade para o desenvolvimento do que nós chamamos de brand voice no marketing digital. Ou seja: a linguagem utilizada será a marca registrada da sua empresa e da sua campanha nas redes. Dependendo do perfil e do produto lançado, a criação de um personagem, juntamente com o uso de uma linguagem descontraída, joga luz para a conexão com os usuários. Isso pede criatividade, e um olhar atento para novas sugestões. 

Além da interação, o CM acompanha os comentários gerados diariamente, o que torna possível ter insights sobre campanhas futuras, já que ele está por dentro das necessidades e vontades do público. Ele também pode sugerir conteúdos para as redes sociais, além de prestar consultoria e acompanhar textos e artes encaminhados pelas agências. Sendo publicações orgânicas ou conteúdos pagos, as atividades no dia-a-dia permitem com que ele acompanhe os resultados em tempo real, prevendo análises mais completas da repercussão gerada no meio digital. Para isso, além da criatividade, é necessário o desenvolvimento de outra competência: o analytics. Isso significa que, por meio de plataformas e softwares especializados, ele analisa o tráfego gerado pelas campanhas – quantas pessoas foram alcançadas, qual a porcentagem do alcance em relação às interações, se a repercussão foi positiva ou negativa, se há pontos de melhoria… Dessa forma, os relatórios apresentados sempre serão uma mistura de dados quantitativos e qualitativos. 

Marketing nas redes sociais: ainda vale a pena investir no Facebook?

Por fim, dada a frequência de interações e conectividade, o community manager também pode identificar comentários que pedem atendimentos personalizados, como dúvidas ou resultados negativos que dependem de um contato direto com o departamento responsável. Isso também ajuda tanto a prevenir como a gerenciar crises, já que ele monitora a publicação de comentários e a conexão com a comunidade. Um papel muito mais importante do que parece ser em teoria: na prática, ele segura mais pontas do que podemos prever. 

Ficou interessado em ter um profissional desse para cuidar da sua marca com a devida atenção? A Lamarca pode tirar todas as suas dúvidas! Entre em contato com a gente através do WhatsApp (+55 (11) 98436-1114). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>